Segunda, 24 de Janeiro de 2022 00:28
77981182798
Agronegócio Hidrog^rnio

Está chegando o Hidrogênio Verde a partir do etanol brasileiro

.

12/01/2022 08h22
514
Por: Redação Fonte: Portal do Agronegócio
Está chegando o Hidrogênio Verde a partir do etanol brasileiro

Reunido desde 2003 no Instituto de Engenharia de São Paulo, um quarteto de mentes superdotadas está desenvolvendo pesquisas, já em estágio avançado, sobre a produção de células de Hidrogênio Verde extraídas do brasileiríssimo etanol de cana-de-açúcar.

A ideia dos engenheiros Luiz Célio Bottura, Armando Carrari, Vernon kohl e Leonam Guimarães, que hoje preside a Eletronuclear, é gerar energia limpa. Esse quarteto deu-se o nome de "Etanóis", um apelido claramente de origem corintiana.

Simultânea e coincidentemente, o Grupo Raízen, do qual são sócias a multinacional holandesa Shell e a brasileira Cosan, anuncia que também desenvolve pesquisas sobre o H2V com base no etanol.

O CEO da Raízen, Ricardo Mussa, não tem dúvida de que é do etanol que o Hidrogênio Verde ganhará escala para tornar-se o combustível do futuro.

Mussa fala com entusiasmo da cana de açúcar e faz comparações:

"A soja produz três toneladas por hectare; o milho, oito, nove toneladas. A cana de açúcar produz 90 toneladas por hectare, com potencial de fazer 160 toneladas", prevê ele.

Falando ao canal da Exame.com no YouTube, Ricardo Mussa revela que a Raízen está utilizando "uma tecnologia de segunda geração, a E2G", e esta é a razão pela qual impressionam esses números sobre produção e produtividade.

E há uma vantagem ambiental de fazer inveja: hoje, o Brasil domina a melhor tecnologia do mundo para produzir cana de açúcar, sem acrescentar um só hectare ou um só novo pé de cana a mais para fazê-lo, como diz Ricardo Mussa.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.