Sob o atento olhar de Guto de Paula: ‘E Agora José?’


O que dizer e o que fazer, para continuar negando o tratamento precoce? Bem, agora que o Dr. Vladimir Zelenko, médico Ucraniano, residente há 16 anos nos Estados Unidos, que pode ter sido indicado para o Prêmio Nobel da Paz. Zelenko é um defensor ferrenho do tratamento com zinco, Hidroxicloroquina e Azitromicina, procedimento que tem salvado milhares de pessoas em todo o planeta.

Em seu discurso o médico disse o seguinte: “Posso dar razões pelas quais há resistência, é muito simples. Chama-se política, lucro, arrogância e medo”, e chamou categoricamente os negadores da eficácia da Hidroxicloroquina/zinco de “culpados de assassinato em massa”.

No entanto se faz necessário considerar que se trata de uma suposta indicação ao Nobel, coisa que a OMS está desde já tentando esvaziar tanto o procedimento precoce como a possibilidade de indicação. Mas tanto a OMS, como a própria ONU, estão alinhadas com o Fórum de São Paulo, não merecem o mínimo crédito.

Porem, é de praxe que indicados ao Prêmio Nobel são mantidos em segredo por 50 anos, segundo normas dos organizadores. Então, essa indicação ainda é uma suposição que pode acontecer ou não. O fato é que o tratamento precoce tem sido eficaz até em cidades brasileiras que o adotaram. E por interesses financeiros óbvios dos vendedores das vacinas experimentais é negado com toda a força da mídia.
Será que a estupidez crônica da oposição vai pensar ao menos quantas vidas poderiam ser salvas se não fossem tão teimosos, tão resistentes e incrivelmente imbecis?

O princípio da medicina é o acolhimento, o tratamento, a sugestão de remédios, e as tentativas de dominar os efeitos da doença. Fruto de pesquisas, de observação, de leitura e de inteiração com outros profissionais. Enfim tudo que foi combatido e negado pelos que estão anestesiados por suas ideologias, visando lucros e vantagens, cometeram o crime de não aceitar essas evidências.

O futuro responderá muitas perguntas e estabelecerá a culpa a todos os que, por levarem vantagens bilionárias negaram o tratamento precoce do Dr. Zelenko e de tantos médicos brasileiros que adotaram o tratamento. No entanto estão convencendo o povo a se tornarem cobaias de vacinas experimentais.

Caso essa possibilidade de premiação aconteça, corram para criar outra narrativa que possa desmentir a credibilidade do Prêmio Nobel, pois negar as soluções e causar terror e incertezas é a estratégia dos que negam o tratamento precoce e adotam a vacinas que necessitam de terceira doze ou mais. E agora José? Como ficamos?

Por Guto de Paula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post Corpos de jovens encontrados mortos após abordagem policial são enterrados sob forte comoção em Salvador
Next post Mato Grosso semeia 0,28% da safra de soja 21/22 na 1ª semana de plantio, diz Imea